paint-brush
Digital Mastery 2023, Parte 2: Os novos benchmarks para vídeo nos negóciospor@darragh
31,346 leituras
31,346 leituras

Digital Mastery 2023, Parte 2: Os novos benchmarks para vídeo nos negócios

por Darragh Grove-White5m2023/09/04
Read on Terminal Reader

Muito longo; Para ler

A série Digital Mastery 2023 de Darragh Grove-White investiga as tendências e desafios atuais em marketing e vendas digitais. A Parte 1 destaca o relatório da HubSpot sobre a importância do Facebook, formatos de vídeo curtos como o TikTok e aplicativos de mensagens. A Parte 2 concentra-se no Relatório de Benchmark de Vídeo em Negócios da Vidyard, revelando que o vídeo é fundamental nos negócios, especialmente nas vendas.
featured image - Digital Mastery 2023, Parte 2: Os novos benchmarks para vídeo nos negócios
Darragh Grove-White HackerNoon profile picture
0-item
1-item
2-item
3-item

Na Parte 1 , revisamos as principais conclusões do relatório “State of Marketing 2023” da HubSpot. O Facebook continua a ser uma ferramenta de marketing de topo, os formatos de vídeos curtos como o do TikTok estão a crescer e as aplicações de mensagens estão a tornar-se cruciais para os negócios. Os profissionais de vendas também enfrentam desafios crescentes na prospecção, engajamento e fechamento de negócios. Também destacamos o papel crescente da IA no marketing.


Isso nos prepara para a Parte 2, com foco no impacto específico do vídeo nos negócios em 2023.

Destaques do relatório Video In Business Benchmark da Vidyard: 13 mudanças e tendências a serem conhecidas

O conjunto de dados exclusivo do Video In Business Benchmark Report da Vidyard vem de 1.778.000 vídeos, anonimizados de seus clientes. As descobertas se alinham aos destaques do relatório da HubSpot e geram insights adicionais sobre tendências de vídeo, análises, métricas de engajamento e os formatos mais populares em uso.


Terça-feira se destaca como o dia mais popular para lançamento de vídeos, enquanto quarta-feira obtém o maior número de visualizações de vídeos


  1. Produção e tipos de vídeo

Portfólio de vídeos diversificado: os principais tipos de vídeos produzidos por empresas são webinars (42%), demonstrações (21%) e vídeos de mídia social (15%).


Produção interna: 92% das empresas agora produzem vídeos usando recursos internos, com o custo médio de produção variando entre US$ 1.000 e US$ 5.000.

52% de todas as empresas que responderam já realizaram a produção de vídeos internamente.


  1. Tipos de investimento em vídeo

87% das empresas usam ferramentas de gravação de tela.


47% das empresas investiram em vídeos de demonstração de produtos, mais do que qualquer outro tipo de vídeo produzido. 35% investiram em vídeos explicativos, 33% das empresas investiram em vídeos de webinars gravados, 31% em vídeos de instruções e 27% em vídeos de depoimentos de clientes.


  1. Plataformas de vídeo e publicação

Preferências de plataforma: o YouTube é a principal plataforma para hospedagem de vídeos, usada por 92% das empresas. A Vidyard descobriu que os clientes hospedavam vídeos em seus sites (84%) e os publicavam no LinkedIn (70%).


Padrões de publicação: terça-feira se destaca como o dia mais popular para lançamento de vídeos, enquanto quarta-feira obtém o maior número de visualizações de vídeos.


  1. Domínio de UGC de conteúdo gerado pelo usuário (UGC): notáveis 72% dos vídeos produzidos este ano foram gerados pelo usuário, sendo a maioria gravações de tela ou vídeos híbridos (80%), como a imagem mostrada abaixo.


Exemplo de vídeo híbrido de Darragh Grove-White com software de gravação de vídeo Loom.


54% dos profissionais de vendas afirmam que o envio de vídeos híbridos aos compradores obtém mais respostas.


  1. Vendas e UGC: 74% dos profissionais de vendas outbound utilizam vídeos UGC para melhorar seus resultados de vendas, sendo os vídeos híbridos particularmente eficazes.


  1. Vídeo nas vendas: O vídeo desempenha um papel fundamental nas vendas, com 71% das empresas agora aproveitando-o em seus diálogos de vendas. 54% dos profissionais de vendas afirmam que o envio de vídeos híbridos aos compradores obtém mais respostas.


As duas seções finais deste artigo aprofundarão o que está funcionando melhor.


  1. Análise de métricas de vídeo e duração do vídeo: a duração média do vídeo é de 4 minutos e 20 segundos, uma diminuição em relação à média anterior de 6 minutos.


    60% de todos os vídeos têm menos de 2 minutos, o tamanho recomendado para maximizar a retenção.


    Outra tendência de interesse; vídeos com menos de 60 segundos, que representam 16% de todos os vídeos, estão ganhando força. Isso está de acordo com nossas descobertas anteriores do HubSpot sobre a ascensão e ascensão meteórica dos vídeos curtos.


  1. Métricas de engajamento: vídeos com menos de 60 segundos apresentam o maior engajamento, retendo uma média de 68% dos espectadores.


    Em contraste, vídeos entre 2 a 4 minutos alcançam a maior taxa de conclusão de 52%.


  1. Análise de vídeo: 85% das empresas utilizam análise de vídeo, com foco em métricas como taxa de reprodução (78%), engajamento (63%) e taxa de conversão (35%).


Postagens de blog que incorporam vídeo atraem três vezes mais links de entrada do que postagens de blog sem vídeo.


  1. Orçamento de investimento e ROI para vídeos Embora 30% das empresas planejem aumentar seu orçamento para vídeos, robustos 89% acreditam que suas iniciativas de vídeo oferecem um ROI sólido.


  1. Eficácia do vídeo


Landing Pages: Incluir um vídeo em uma landing page pode aumentar a conversão em 80%.


Marketing por e-mail: incorporar vídeo em e-mails pode aumentar a taxa de cliques em 200-300%. Isso é uma grande notícia quando as métricas de referência de e-mail, em média, estão diminuindo, como mencionado anteriormente.


Postagens de blog de vídeo: postagens de blog que incorporam vídeo atraem três vezes mais links de entrada do que postagens de blog sem vídeo.


Conforme mencionado anteriormente, as postagens de blog que contêm um vídeo têm uma chance 53 vezes maior de classificação na primeira página do Google


  1. Impacto e adoção do vídeo Influência do vídeo: 94% das empresas concordaram que o vídeo está melhorando a compreensão do usuário sobre suas ofertas.


  1. Desafios de produção de vídeo: Os principais obstáculos na produção de vídeo são restrições de tempo (24%), limitações orçamentárias (23%) e escassez de recursos (22%).


  1. Vídeo em Marketing: Não é de surpreender que substanciais 70% das empresas estejam se preparando para ampliar seus esforços de marketing de vídeo e 96% já integraram o vídeo em seu plano de marketing.


  1. Perspectivas Futuras: Uma esmagadora maioria de 99% das empresas continuarão a utilizar vídeo em 2023, com 96% a planear aumentar ou manter os seus gastos atuais.


Ao encerrarmos a Parte 2 da Série Digital Mastery 2023, fica claro que o vídeo não é mais apenas uma opção: é uma necessidade para as empresas que desejam permanecer à frente. Da produção interna ao aproveitamento do conteúdo gerado pelo usuário, o vídeo está revolucionando a forma como interagimos, vendemos e medimos o sucesso. Com impressionantes 99% das empresas planejando continuar ou aumentar o uso de vídeo, o meio está inegavelmente moldando o futuro do marketing e das vendas digitais.


Se você achou este mergulho profundo nos novos benchmarks de vídeo nos negócios, compartilhe-o com seus amigos, colegas de trabalho e rede, deixe um comentário, siga-me no HackerNoon , LinkedIn ou X. Fique ligado na Parte 3, onde exploraremos o cenário em evolução das vendas virtuais nesta era digital.



LEIA AGORA: Digital Mastery 2023, Parte 3: O cenário em evolução das vendas virtuais