paint-brush
Por que as habilidades autodidatas são o novo MBA na economia atualpor@scottdclary
1,562 leituras
1,562 leituras

Por que as habilidades autodidatas são o novo MBA na economia atual

por Scott D. Clary8m2024/05/19
Read on Terminal Reader

Muito longo; Para ler

Dizem-nos que a educação formal é a chave para o sucesso, o bilhete dourado para uma vida confortável. Mas olhe ao seu redor. A maioria dos empreendedores, inovadores e criadores de sucesso geralmente segue caminhos não convencionais. Muitos são autodidatas, suas salas de aula são as salas de reuniões de suas próprias empresas ou a expansão da Internet.
featured image - Por que as habilidades autodidatas são o novo MBA na economia atual
Scott D. Clary HackerNoon profile picture

Sejamos honestos.


Seu diploma universitário está acumulando poeira.


Talvez esteja apoiando uma perna bamba da mesa ou servindo como uma base para copos improvisada para o seu café da manhã. (Para ser honesto, isso provavelmente é dar muito crédito).


Quando você foi para a faculdade, entre acumular fatos inúteis e beber em excesso, provavelmente aprendeu a pensar criticamente, a analisar

dados ou escreva um ensaio semicoerente, mas você aprendeu algo realmente valioso?


Ensinou você como construir riqueza, criar negócios ou impactar o mundo?


Estou disposto a apostar que as lições mais valiosas que você aprendeu vieram depois que você jogou o boné de formatura para o alto.


O Mito da Torre de Marfim

Veja, nos venderam uma mentira.


Dizem-nos que a educação formal é a chave para o sucesso, o bilhete dourado para uma vida confortável.


Mas olhe ao seu redor.


Os empreendedores, inovadores e criadores mais bem-sucedidos do mundo muitas vezes seguem caminhos não convencionais.


Muitos são autodidatas, suas salas de aula são as salas de reuniões de suas próprias empresas ou a vasta extensão da Internet.


Tomemos como exemplo Bill Gates, Steve Jobs ou Mark Zuckerberg – pessoas que abandonaram a faculdade e que revolucionaram seus setores.


Ou consideremos os inúmeros criadores e empreendedores individuais de sucesso que nunca pisaram numa sala de conferências, construindo impérios a partir dos seus quartos, armados com nada mais do que Wi-Fi e uma sede insaciável de conhecimento.


A revolução da autoeducação

Estamos no meio de uma revolução na autoeducação.


A internet democratizou o conhecimento, tornando-o acessível a qualquer pessoa curiosa.


Cursos online, podcasts, livros, artigos – as ferramentas para o autoaperfeiçoamento estão ao nosso alcance.


A educação formal ensina como aprender, mas a autoeducação ensina o que aprender.


Trata-se de identificar suas paixões, interesses e objetivos e, em seguida, encontrar os recursos que o impulsionarão em direção a eles.


Por que a autoeducação é o novo MBA

O problema é o seguinte: as competências mais valiosas na economia de hoje não são ensinadas nas salas de aula tradicionais.


  • Não se trata de memorizar fatos ou regurgitar teorias.
  • Tratam de adaptabilidade, criatividade e capacidade de aprender de forma rápida e independente.

Essas são as habilidades que você desenvolve por meio da autoeducação.

  • Você se torna um aprendiz ao longo da vida, buscando constantemente novos conhecimentos e aplicando-os à sua vida e ao seu trabalho.
  • Você se torna adaptável, capaz de girar quando as circunstâncias mudam e abraçar o inesperado.
  • Você se torna um criador, construindo seu próprio caminho em vez de seguir o caminho trilhado por outros.


Mas aqui está o problema: a autoeducação não consiste apenas em adquirir conhecimento.


Trata-se de aplicar esse conhecimento, experimentar, falhar e aprender com seus erros. É sobre agir e fazer as coisas acontecerem.


O kit de ferramentas de autoeducação

Agora, vamos nos aprofundar em como você pode aproveitar a autoeducação para se tornar o arquiteto de seu próprio destino.


A beleza da autoeducação é que ela é personalizada.


Você pode escolher seu próprio currículo, seus próprios professores e seu próprio ritmo.


Aqui está um vislumbre do kit de ferramentas de autoeducação à sua disposição:


  1. A Biblioteca de Alexandria 2.0: A internet é sua ostra. Mergulhe em cursos online (Coursera, Udemy, Skillshare), devore blogs e artigos (Wait But Why, Farnam Street) e ouça podcasts (The Tim Ferriss Show, Invest Like the Best).

  2. Mentores e comunidades: procure mentores que tenham alcançado o que você aspira. Participe de comunidades online (Masterminds, subreddits) onde você pode aprender com outras pessoas e trocar ideias.

  3. Livros: Não subestime o poder dos livros. São sabedoria concentrada, destilada das mentes de alguns dos maiores pensadores do mundo.

  4. Experimentação: Não consuma apenas conhecimento; aplicam-na. Comece um movimento paralelo, construa um site, escreva um livro. A melhor maneira de aprender é fazendo.


O poder da curiosidade

Os autodidatas mais eficazes compreendem essas ferramentas e as utilizam, impulsionados por uma curiosidade inabalável.


Eles buscam ativamente conhecimento, questionam suposições prevalecentes e adotam conceitos novos. Eles não fogem da ambigüidade; em vez disso, eles veem isso como uma oportunidade de expandir sua compreensão.


Mas aprender não consiste apenas em acumular factos; trata-se da arte de aprender . Trata-se de sintetizar informações, conectar ideias díspares e forjar seu próprio entendimento único. Trata-se de aplicar conhecimento para superar desafios e criar algo de valor.


A arte de aprender

Para cultivar essa mentalidade, alimente sua natureza curiosa.


Interrogue o mundo ao seu redor.


Mergulhe em assuntos que o fascinam, mesmo que pareçam não ter relação com seus objetivos principais.


Siga sua curiosidade intelectual onde quer que ela o leve.


Lembre-se de que o aprendizado não se limita à sala de aula; o mundo inteiro é o seu playground educacional.


Aprender não é apenas absorver informações. Trata-se de sintetizá-lo, conectar os pontos e torná-lo seu.

Trata-se de aplicar o que você aprendeu para resolver problemas e criar valor.


Aqui estão algumas dicas para otimizar seu aprendizado:


  • Concentre-se nos fundamentos: domine os princípios básicos da área escolhida antes de mergulhar nas minúcias.
  • Pratique a repetição espaçada: Revise as informações regularmente para reforçar sua memória.
  • Ensine os outros: A melhor maneira de solidificar a sua compreensão de um conceito é explicá-lo a outra pessoa.
  • Aceite o fracasso: erros não são contratempos; eles são oportunidades de aprendizagem.


A vantagem autodidata

Indivíduos autodidatas geralmente têm uma vantagem distinta sobre seus colegas com educação formal.


Eles não estão confinados ao pensamento tradicional ou a currículos desatualizados.


Eles não têm medo de desafiar o status quo e traçar seu próprio caminho.


Eles também são incrivelmente engenhosos e adaptáveis.


Eles aprenderam a navegar pelo mundo em seus próprios termos, a encontrar soluções para problemas e a criar oportunidades onde outros não as veem.


Porque o mundo está mudando rapidamente.


As habilidades de que você precisa para prosperar amanhã podem nem existir hoje.


A capacidade de aprender de forma rápida e independente é mais valiosa do que nunca.


Nas palavras de Albert Einstein: “ O importante é não parar de questionar. Curiosidade tem sua própria razão para existir."


O monopólio pessoal

Vamos falar sobre como transformar sua autoeducação em resultados tangíveis – construindo seu próprio monopólio pessoal.


O conceito de “monopólio pessoal” pode parecer um pouco grandioso, mas ouça-me.


Trata-se de criar um nicho único para você, um espaço onde você é o especialista, o recurso insubstituível.


Seu monopólio pessoal se baseia na interseção de suas paixões, habilidades e experiências.


É a proposta de valor única que você traz ao mundo, aquilo que faz você se destacar na multidão.


NB: A interseção entre domínio, paixão e lucro:


Muitas pessoas perseguem indústrias “quentes” ou tentam copiar o sucesso de outras. Mas os empreendedores e criadores mais bem-sucedidos são aqueles que constroem negócios em torno de seu domínio, de suas paixões e dos lucros. Eles resolvem problemas com os quais realmente se preocupam, criando produtos e serviços que repercutem em seu público.


Identifique suas paixões. No que você está genuinamente interessado? Que problemas você vê no mundo que deseja resolver? Que habilidades e experiências únicas você traz para a mesa?


As respostas a estas perguntas irão guiá-lo em direção ao seu monopólio pessoal.


Tornando-se um “Only1”

A chave para construir um monopólio pessoal é tornar-se um “Apenas1”. Isso significa ser a única pessoa que faz o que você faz da maneira que você faz. Trata-se de combinar suas habilidades, experiências e perspectivas únicas para criar algo verdadeiramente original e valioso.


Veja como você pode começar a construir sua marca Only1:


  1. Abrace sua individualidade: não tente ser alguém que você não é. Deixe sua personalidade brilhar em seu trabalho.
  2. Combine suas habilidades: procure maneiras de combinar suas habilidades e interesses aparentemente díspares. É aqui que a mágica acontece.
  3. Conte sua história: compartilhe sua jornada, suas lutas e seus triunfos. As pessoas se conectam com autenticidade.
  4. Crie valor excepcional: entregue produtos, serviços ou conteúdo que supere as expectativas.
  5. Construa uma comunidade: Cerque-se de pessoas que pensam como você e que apoiam sua visão.


Quanto mais você aprende, mais você cresce. Quanto mais você cresce, mais oportunidades se apresentam. Quanto mais oportunidades você aproveita, mais você aprende. É um ciclo virtuoso, um volante de autoeducação que impulsiona você em direção aos seus objetivos.


Nunca pare de aprender. Nunca pare de crescer. Nunca pare de construir seu monopólio pessoal.


O jogo finito versus o jogo infinito

Agora, vamos diminuir o zoom e considerar o panorama geral – o jogo infinito da vida e como a autoeducação capacita você a jogá-lo para vencer.


Em seu livro “Jogos Finitos e Infinitos”, James Carse apresenta um conceito poderoso: Existem dois tipos de jogos na vida – finitos e infinitos.


  • Jogos finitos: têm começo, meio e fim claros. Eles estabeleceram regras e um vencedor definido. Pense em um jogo de futebol ou em uma partida de xadrez.
  • Jogos infinitos: estes não têm fim. O objetivo não é vencer, mas sim continuar jogando. As regras são fluidas e em constante evolução. Pense na vida, nos negócios ou no crescimento pessoal.


A maioria de nós está condicionada a jogar jogos finitos.


Somos ensinados a competir, a vencer, a ser os melhores. Mas as vidas mais gratificantes e impactantes são vividas no jogo infinito.

A autoeducação como ferramenta para o jogo infinito

A autoeducação é a ferramenta definitiva para jogar o jogo infinito.


Trata-se de aprendizado, crescimento e adaptação contínuos.


Trata-se de abraçar a mudança e ver cada desafio como uma oportunidade para subir de nível.


O indivíduo autodidata não joga para ganhar um jogo específico.


Eles estão jogando para permanecer no jogo, para continuar crescendo, para continuar evoluindo.


Eles entendem que a viagem é mais importante que o destino.

O trilionário autodidata

No jogo infinito da vida, a riqueza não é medida apenas em dólares e centavos.


É medido em experiências, relacionamentos, impacto e crescimento pessoal.


O trilionário autodidata não é necessariamente a pessoa mais rica do mundo, mas é a mais rica em espírito.


Eles cultivaram uma riqueza de conhecimentos, habilidades e experiências que enriqueceram suas vidas e as vidas daqueles que os rodeiam.


São eles os criadores, os inovadores, os líderes que moldam o futuro.


São eles que estão constantemente ultrapassando os limites do que é possível, que não têm medo de correr riscos e abraçar o desconhecido.

Seu convite para o jogo infinito

Convido você a se juntar às fileiras dos trilionários autodidatas.


Abrace o jogo infinito da vida.


& Nunca pare de aprender, crescer e criar.