paint-brush
ChatGPT escreve The Great Gatsby ambientado em um apocalipse zumbipor@Limarc
1,188 leituras
1,188 leituras

ChatGPT escreve The Great Gatsby ambientado em um apocalipse zumbi

por Limarc Ambalina11m2022/12/02
Read on Terminal Reader

Muito longo; Para ler

Caso você ainda não saiba, a Open AI lançou recentemente o ChatGPT, um novo modelo que interage de forma conversacional. No entanto, não me importo muito com chatbots e, em vez disso, queria ver seus recursos de escrita de ficção. Aqui foi o meu prompt: Escreva a cena de abertura de O Grande Gatsby ambientada durante um apocalipse zumbi A partir daí, continuo a história usando o texto gerado pela IA como o próximo prompt e adiciono “Capítulo 2:”, “Capítulo 3:” e assim por diante, até o final do prompt para dizer à IA para continuar a história. Aqui está o que surgiu…
featured image - ChatGPT escreve The Great Gatsby ambientado em um apocalipse zumbi
Limarc Ambalina HackerNoon profile picture

Caso você ainda não saiba, a Open AI lançou recentemente o ChatGPT , um novo modelo que interage de maneira conversacional.


No entanto, não me importo muito com chatbots e, em vez disso, queria ver seus recursos de escrita de ficção.


Aqui foi o meu prompt:

Escreva a cena de abertura de O Grande Gatsby ambientada durante um apocalipse zumbi


A partir daí, continuo a história usando o texto gerado pela IA como o próximo prompt e adiciono “Capítulo 2:”, “Capítulo 3:” e assim por diante, até o final do prompt para dizer à IA para continuar a história.


Aqui está o que veio com…


Observação: a imagem da história foi criada usando o recursode gerador de imagem AI do HackerNoon por meio de difusão estável. Usei o prompt “O Grande Gatsby apontando uma arma para um zumbi”



O Grande Gatsby e Zumbis

Capítulo 1

O céu tinha um tom doentio de verde e o ar estava carregado com o fedor da podridão. Os outrora exuberantes campos e florestas foram reduzidos a um terreno baldio estéril, e o único som era o arrastar de incontáveis pés.


Os zumbis se arrastavam pela terra, seus corpos torcidos e contorcidos pela devastação do vírus que os transformou em máquinas de matar irracionais. Eles eram movidos por uma fome sem fim e não paravam por nada para alimentar seus apetites insaciáveis.


No meio desse caos, uma figura solitária estava no topo de uma colina, olhando para a destruição com um olhar de diversão imparcial. Ele era Jay Gatsby, o enigmático milionário que ascendeu de origens humildes para se tornar o homem mais poderoso do país.


Gatsby não era como os outros sobreviventes. Ele não foi levado ao desespero pelo apocalipse, mas em vez disso o abraçou como uma nova oportunidade de adquirir ainda mais riqueza e poder.


Ele usou sua astúcia e crueldade para construir um pequeno império, usando os zumbis como um meio de eliminar seus rivais e afirmar seu domínio sobre os bolsões restantes da humanidade.


E agora, enquanto estava na colina, ele sabia que era intocável. Ele era o mestre deste novo mundo, e nada poderia ficar em seu caminho.


Mas mesmo enquanto Gatsby se deliciava com sua própria grandeza, ele não conseguia se livrar da sensação de que algo estava faltando. Ele tinha tudo o que poderia desejar, mas ainda não era verdadeiramente feliz.


Pois no fundo, Gatsby sabia que a verdadeira felicidade só poderia ser encontrada no amor de outra pessoa. E neste mundo de morte e destruição, esse amor parecia um sonho impossível.

Mesmo assim, Gatsby manteve esse sonho, sabendo que um dia ele encontraria o amor que o iludiu por tanto tempo. E até então, ele continuaria a governar este novo e aterrorizante mundo com mão de ferro.


De repente, uma figura emergiu das sombras, caminhando em direção a Gatsby com passo determinado. Era Daisy, o amor há muito perdido de Gatsby, e ela veio procurá-lo neste deserto desolado.

O coração de Gatsby disparou de emoção ao vê-la e, por um momento, ele esqueceu tudo sobre os zumbis e o caos do apocalipse. Tudo o que importava era que Daisy estava aqui, e ela finalmente estava ao seu alcance.


Daisy correu em direção a Gatsby, seus olhos brilhando de amor e determinação. Ela se jogou em seus braços, e eles se abraçaram com força, finalmente reunidos depois de tantos anos separados.


Naquele momento, todas as dúvidas e medos de Gatsby se dissiparam, e ele soube que finalmente havia encontrado a felicidade que o iludiu por tanto tempo. Ele e Daisy estavam juntos novamente, e nada, nem mesmo os zumbis, poderia separá-los.


E enquanto eles estavam ali, abraçados no meio do apocalipse, Gatsby sabia que finalmente havia alcançado a única coisa que sempre quis: amor verdadeiro.


Mas assim que Gatsby e Daisy estavam perdidos em seu momento de felicidade, eles ouviram um rugido repentino atrás deles. Eles se viraram para ver uma enorme horda de zumbis se aproximando deles, seus olhos brilhando de fome e raiva.


Gatsby e Daisy sabiam que tinham que agir rápido se quisessem sobreviver. Eles agarraram as mãos um do outro e correram em direção a um prédio abandonado próximo, na esperança de encontrar abrigo e segurança lá dentro.


Enquanto corriam, Gatsby podia ouvir os zumbis avançando sobre eles, seus gemidos e rosnados cada vez mais altos e ameaçadores a cada segundo que passava. Ele sabia que eles tinham que se mover mais rápido, mas seu corpo estava começando a se sentir pesado e exausto de sua longa jornada.


Apesar do cansaço, Gatsby se esforçou mais, recusando-se a soltar a mão de Daisy. Ele sabia que se eles pudessem chegar ao prédio, eles teriam a chance de lutar contra os zumbis e defender sua recém-descoberta felicidade.


Finalmente, eles chegaram ao prédio e irromperam pelas portas, fechando-as atrás de si. Encostaram-se às portas, ofegando e suando, com o coração batendo forte no peito.


Mas eles sabiam que a luta estava longe de terminar. Os zumbis ainda estavam do lado de fora, arranhando as portas e janelas, tentando arrombar e chegar até eles. Gatsby e Daisy se prepararam para a batalha que certamente viria, sabendo que fariam o que fosse necessário para proteger seu amor e sobreviver ao apocalipse.



Capítulo 2:

Gatsby e Daisy olharam ao redor do prédio abandonado, tentando descobrir o próximo passo. O prédio era escuro e mofado, e estava claro que não era usado há muito tempo.


"Precisamos encontrar algumas armas", disse Gatsby, sua voz baixa e urgente. "Algo que podemos usar para nos defender dos zumbis."


Daisy assentiu, seus olhos examinando a sala em busca de qualquer sinal de uma arma. Ela viu uma perna de cadeira quebrada no canto e a pegou, testando seu peso em sua mão.


"Isso vai servir", disse ela, sua voz determinada. "Podemos usar isso para afastar os zumbis se eles quebrarem as portas."


Gatsby assentiu, impressionado com a desenvoltura de Daisy. Ele olhou ao redor da sala novamente e viu um pequeno armário no canto.


"Vou verificar lá", disse ele, apontando para o armário. "Talvez possamos encontrar mais algumas armas ou suprimentos."


Daisy assentiu e observou enquanto Gatsby caminhava até o armário e abria a porta. Lá dentro, ele encontrou um pequeno esconderijo de armas e suprimentos, incluindo algumas facas, um taco de beisebol e algumas latas de comida.


Gatsby sorriu enquanto pegava as armas e as trazia de volta para Daisy.


"Parece que não estamos completamente indefesos", disse ele, entregando-lhe uma faca. "Vamos ter certeza de que estamos prontos para qualquer coisa."


Daisy assentiu e pegou a faca, segurando firme e confiante. Juntos, eles ficaram na porta, prontos para enfrentar quaisquer perigos que o apocalipse zumbi colocasse em seu caminho.


Eles não tiveram que esperar muito. Alguns minutos depois, eles ouviram um estrondo do lado de fora, seguido pelo som dos zumbis batendo na porta.


"Eles estão aqui", disse Gatsby, com a voz tensa de medo. "Precisamos detê-los o máximo que pudermos."

Daisy assentiu, com o coração acelerado de medo e adrenalina. Ela ficou ao lado de Gatsby, pronta para lutar ao lado dele.


Quando os zumbis começaram a arrombar a porta, Gatsby e Daisy entraram em ação. Eles usaram suas armas para afastar os zumbis, atingindo-os com precisão e ferocidade.


Mas, apesar de seus melhores esforços, os zumbis continuaram chegando, sobrecarregando-os com números absolutos. Gatsby e Daisy lutaram bravamente, mas foram rapidamente empurrados para trás.


Quando parecia que tudo estava perdido, uma sirene alta perfurou o ar, seguida pelo som de tiros. Gatsby e Daisy ergueram os olhos surpresos ao ver um grupo de soldados invadindo o prédio, eliminando os zumbis com facilidade.


Os soldados rapidamente protegeram o prédio e resgataram Gatsby e Daisy. Enquanto eram levados para um local seguro, Gatsby não pôde deixar de sentir uma sensação de admiração e gratidão.


"Obrigado", disse ele aos soldados, com a voz embargada pela emoção. "Você salvou nossas vidas."

"É o nosso trabalho", respondeu um dos soldados. "Estamos aqui para proteger os sobreviventes do apocalipse."


Ele sabia que enquanto eles tivessem pessoas como os soldados ao seu lado, eles teriam uma chance de sobreviver e reconstruir neste novo mundo. E com Daisy ao seu lado, Gatsby estava pronto para enfrentar qualquer desafio que viesse pela frente.


Mas enquanto eles eram escoltados para um local seguro, Gatsby não conseguia se livrar da sensação de que algo estava errado. Ele olhou para Daisy e pôde ver o mesmo medo e incerteza em seus olhos.

"O que é isso?" Gatsby perguntou, sua voz baixa e urgente. "Você sente isso também?"


Daisy assentiu com a cabeça, o rosto pálido de medo. "Acho que os soldados estão escondendo algo de nós", disse ela. "Eles não são quem dizem ser."


O coração de Gatsby afundou quando ele percebeu que Daisy estava certa. Os soldados os haviam resgatado, mas pareciam muito organizados e bem equipados para serem meros sobreviventes como eles.


"Precisamos ter cuidado", disse Gatsby, apertando a mão de Daisy com mais força. "Não podemos confiar neles completamente. Precisamos descobrir o que eles realmente querem."


Daisy assentiu e, juntos, eles seguiram os soldados, determinados a descobrir a verdade e proteger uns aos outros de quaisquer perigos que estivessem por vir.


Capítulo 3:

Enquanto Gatsby e Daisy seguiam os soldados, eles rapidamente perceberam que algo estava errado com o grupo. Os soldados estavam fortemente armados e pareciam estar em uma missão, mas se recusaram a responder a qualquer pergunta de Gatsby e Daisy.


"Onde você está nos levando?" Gatsby perguntou a um dos soldados, sua voz tensa com suspeita. "Quais são seus planos para nós?"


O soldado apenas olhou para ele, sua expressão fria e insensível. "Não é da sua conta," ele disse, sua voz desprovida de emoção. "Apenas siga-nos e faça como você disse."


Gatsby trocou um olhar preocupado com Daisy. Ele poderia dizer que ela estava tão inquieta quanto ele, e ele sabia que eles precisavam encontrar uma maneira de escapar dos soldados e ficar em segurança.


Mas como eles continuaram a seguir os soldados, eles logo se encontraram em um complexo grande e fortificado. Os soldados os levaram para dentro e Gatsby pôde ver que o complexo estava cheio de outros sobreviventes, todos parecendo assustados e confusos.


"É aqui que você vai ficar", disse um dos soldados, com a voz áspera e hostil. "Você receberá comida e abrigo, mas em troca, espera-se que você siga nossas regras e obedeça aos nossos comandos. Qualquer desobediência não será tolerada."


Gatsby e Daisy se entreolharam, com o coração apertado. Eles sabiam que estavam presos neste complexo e teriam que encontrar uma maneira de escapar antes que fosse tarde demais.


Enquanto exploravam o complexo, Gatsby e Daisy rapidamente perceberam que os soldados estavam usando os sobreviventes como fonte de trabalho e recursos. Os soldados estavam no comando de tudo e tratavam os sobreviventes com eficiência fria e implacável.


Gatsby e Daisy sabiam que precisavam encontrar uma saída, mas o complexo era fortemente guardado e a fuga parecia impossível. Eles decidiram se esconder e coletar informações, tentando descobrir mais sobre os soldados e seus planos.


Eles rapidamente fizeram amizade com alguns dos outros sobreviventes e descobriram que os soldados faziam parte de uma organização maior conhecida como Nova Ordem. A Nova Ordem era um grupo de indivíduos implacáveis e sedentos de poder que assumiram o controle do complexo e estavam usando os sobreviventes para promover seus próprios objetivos.


Gatsby e Daisy ficaram horrorizados com o que ouviram e sabiam que tinham que fazer algo para impedir a Nova Ordem e libertar os sobreviventes de sua tirania.


Mas conforme tramavam e planejavam, eles também se aproximavam, encontrando consolo e conforto na companhia um do outro. Gatsby percebeu que estava se apaixonando por Daisy novamente e sabia que faria qualquer coisa para protegê-la e mantê-la segura.


Finalmente, eles bolaram um plano para escapar do complexo e derrubar a Nova Ordem. Era arriscado e perigoso, mas eles estavam determinados a fazer funcionar.


Capítulo 4:


A noite de sua fuga chegou, e Gatsby e Daisy seguiram para o perímetro do complexo, tentando evitar os guardas e ficar escondidos. Eles conseguiram reunir algumas armas e suprimentos, mas sabiam que estavam em desvantagem numérica e de armas.


Eles chegaram ao perímetro e começaram a cortar a cerca, tentando criar uma pequena abertura por onde pudessem escapar. Mas, quando estavam prestes a terminar, ouviram um alarme alto soando pelo complexo.


"Eles descobriram nosso plano de fuga", disse Gatsby, sua voz tensa de medo. "Precisamos nos mover rapidamente."


Daisy assentiu, seus olhos examinando a área em busca de qualquer sinal dos guardas. Ela podia ouvir seus passos se aproximando, e ela sabia que eles tinham que agir rápido se quisessem fugir.


Juntos, Gatsby e Daisy terminaram de cortar a cerca e se espremeram pela pequena abertura. Eles correram para a escuridão, seus corações batendo de medo e adrenalina.


Podiam ouvir os guardas atrás deles, gritando e perseguindo-os. Gatsby e Daisy correram o mais rápido que puderam, tentando colocar o máximo de distância possível entre eles e os guardas.


Mas assim que eles pensaram que estavam em segurança, eles se depararam com um grupo de zumbis. Os zumbis rosnaram e se lançaram sobre eles, e Gatsby e Daisy sabiam que estavam em apuros.


Eles lutaram contra os zumbis com suas armas, mas foram superados em número e rapidamente derrotados. Quando parecia que tudo estava perdido, um rugido alto ecoou pela noite, e um enorme urso emergiu da escuridão, atacando os zumbis e salvando Gatsby e Daisy.


Gatsby e Daisy se entreolharam espantados, incapazes de acreditar no que acabavam de presenciar. Eles sabiam que haviam sido salvos por um milagre e estavam determinados a aproveitar ao máximo sua segunda chance.


Eles agradeceram ao urso e continuaram sua jornada, determinados a derrubar a Nova Ordem e libertar os sobreviventes de sua tirania.




Considerações sobre a saída do ChatGPT

…uhhh então eu não sei de onde diabos aquele urso veio, mas tirando aquele ponto estranho da trama, isso foi incrível!


O modelo gerou uma prosa de som completamente natural em uma voz de escrita consistente em toda a peça. Eu estava pensando que começaria a cometer erros com as armas e a tecnologia disponíveis durante o período (Gatsby se passa na década de 1920). No entanto, para minha surpresa, nunca criou nenhuma inconsistência.


Não sei você, mas eu assistiria totalmente a um filme de terror B com esse enredo exato 🤤


O que você acha da saída do ChatGPT? Quer que eu faça a IA continuar a história para que você saiba o que acontece com Daisy e Gatsby no final? Deixe-me saber nos comentários abaixo!